Estou de Alma Lavada

chuva da janela Pictures, Images and Photos

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Pensar é ser...



Pensar é ser...

"O mais infeliz dos homens é aquele que assim se julga, porque a desgraça depende menos das coisas que sofremos do que da imaginação com que aumentamos a própria infelicidade".
O mais infeliz dos homens é aquele que assim se julga. Uma grande verdade, porque felicidade e infelicidade são estados mentais.
Não são os acontecimentos, em si, que fazem uma pessoa feliz ou infeliz, mas a idéia que essa pessoa faz desses acontecimentos.
Uma outra frase diz: "os tristes dizem que os ventos gemem; os alegres acham que os ventos cantam".
Tudo é questão de ótica mental.
Você vê e sente as coisas através da mente.
Pode ser que você tenha errado, feito besteiras, fracassado, que ninguém é infalível e nem perfeito.
Mas ao invés de ficar aí se lamentando pelos cantos da casa, ou pelos consultórios psiquiátricos, levante a cabeça, corrija a direção do seu barco e siga em frente.
Ficar se lamentando é uma maneira de perder tempo e vida.
Siga em frente.
Às vezes, o barco bater num galho de árvore, sofrer o atrito de um banco de areia, chocar-se com outro barco, mas seguindo em frente você somente ficará com a parte boa do acontecido, que é a lição para acertar melhor o roteiro e a certeza de que está chegando sempre mais próximo do objetivo.
Se vai adiante, poderá acertar a rota. Se fica parado, a chorar o leite derramado, jamais chegará onde deseja.
Por todas essas considerações, você percebe que a sua mente faz a sua felicidade ou infelicidade, o sucesso ou a depressão, enfim a sua vida.
Preste bem atenção ao conteúdo das suas reflexões diárias sobre os fatos e situações, pois aí está a explicação do que lhe acontece.
Se vive se queixando da vida, achando que não adianta fazer nada, vendo fantasmas e demônios por toda parte, sua vida irá de mal a pior, pois o que você planta na mente, colhe na realidade.
Inunde sua mente, a sua alma, o seu coração, com a energia da felicidade.
Proclame interiormente a felicidade, imagine-se feliz e verá que esta causa mental trará consigo o efeito correspondente.
Pensar é ser...
Autor: Desconhecido



O conhecimento de si mesmo

Por Juan Luis Lorda



Quem experimentou a dor entende o que dói; quem experimentou um revés da fortuna, sabe o que é estar triste; quem se sentiu abandonado, compreende a solidão. E o mesmo sucede com toda a riquíssima gama de sentimentos que podem ocupar o coração humano. À medida que cada um se conhece melhor, torna-se mais capaz de compreender os outros, porque «sabe» o que lhes sucede.

Poema do amigo aprendiz


Quero ser o teu amigo. Nem demais e nem de menos.
Nem tão longe e nem tão perto.
Na medida mais precisa que eu puder.
Mas amar-te sem medida e ficar na tua vida,
Da maneira mais discreta que eu souber.
Sem tirar-te a liberdade, sem jamais te sufocar.
Sem forçar tua vontade.
Sem falar, quando for hora de calar.
E sem calar, quando for hora de falar.
Nem ausente, nem presente por demais.
Simplesmente, calmamente, ser-te paz.
É bonito ser amigo, mas confesso é tão difícil aprender!
E por isso eu te paço paciência.
Vou encher este teu rosto de lembranças,
Dá-me tempo, de acertar nossas distâncias...

Fernando Pessoa

domingo, 25 de abril de 2010

"Viva um pouco mais a vida" pense nisso...

Vinha eu passeando pelos blogs a procura de um texto de Mário Quintana.Achei este blog com essa mensagem.tentei ser o mai s fiel possível á cópia, porque achei muito bonito.Se eu fosse vcs passava por lá, vale a pena.
http://bloggdaro.blogspot.com/2010/01/viva-um-pouco-mais-vida-pense-nisso.html

Só um lembrete do Quintana ...
'A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são seis horas!
Quando se vê, já é sexta-feira...
Quando se vê, já terminou o ano...
Quando se vê, perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê, já passaram-se 50 anos!
Agora é tarde demais para ser reprovado.
Se me fosse dado, um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando, pelo caminho, a casca dourada e inútil das horas.
Desta forma, eu digo:
Não deixe de fazer algo que gosta, devido à falta de tempo,
pois a única falta que terá,
será desse tempo que infelizmente não voltará mais.'

Mário Quintana


"""Pense nisso você também e veja que sábios conselhos tem nesse texto!!!







Não leve a faxina ou o trabalho tão a sério!









Pense que a camada de pó vai proteger a madeira que está por baixo dela!
Uma casa só vai virar um lar quando você for capaz de escrever "Eu te amo" sobre os móveis !
Antigamente eu gastava no mínimo 8 horas por semana para manter tudo bem limpo, caso "alguém aparecesse para visitar" - mas depois descobri que ninguém passa "por acaso" para visitar- todos estão muito ocupados passeando, se divertindo e aproveitando a vida!
E agora, se alguém aparecer de repente?
Não tenho que explicar a situação da minha casa a ninguém...











... as pessoas não estão interessadas em saber o que eu fiquei fazendo o dia todo enquanto elas passeavam, se divertiam e aproveitavam a vida...
Caso você ainda não tenha percebido: A VIDA É CURTA ... APROVEITE-A!!!

Tire o pó ... se precisar...










mas não seria melhor pintar um quadro ou escrever uma carta, dar um passeio ou visitar um amigo,
assar um bolo e lamber a colher suja de massa, plantar e regar umas sementinhas?
Pese muito bem a diferença entre QUERER e PRECISAR!

Tire o pó... seprecisar...









mas você não terá muito tempo livre...
para beber champanha, nadar na praia (ou na piscina), escalar montanhas, brincar com os cachorros,
ouvir música e ler livros, cultivar os amigos e aproveitar a vida!!

Tire o pó... seprecisar...









mas a vida continua lá fora, o sol iluminando os olhos, o vento agitando os cabelos, um floco de neve,
as gotas da chuva caindo mansamente....
- Pense bem, este dia não voltará jamais !!
Tire o pó... se precisar.... mas não se esqueça que você vai envelhecer e muita coisa não será mais tão fácil de fazer como agora...








E quando você partir, como todos nós partiremos um dia, também vai virar pó!!!



Nínguém vai se lembrar de quantas contas vc pagou, nem de sua casa tão limpinha, mas vão se lembrar de sua amizade, de sua alegria e do que vc ensinou.







AFINAL:

"Não é o que você juntou, e sim o que você espalhou que reflete como você viveu a sua vida।"



(Parabéns Rosane, além do texto tocante , as imagens ficarão ótimas.Copiei como uma homenagem pelo bom gosto.
beijos
Nairmc)

O tempo

'A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são seis horas!
Quando se vê, já é sexta-feira...
Quando se vê, já terminou o ano...
Quando se vê, perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê, já passaram-se 50 anos!
Agora é tarde demais para ser reprovado.
Se me fosse dado, um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando, pelo caminho, a casca dourada e inútil das horas.
Desta forma, eu digo:
Não deixe de fazer algo que gosta, devido à falta de tempo,
pois a única falta que terá,
será desse tempo que infelizmente não voltará mais.'

Mário Quintana

Invictus



"Invictus" poema que inspirou Mandela na prisão






De dentro da noite que me cobre,
Negra como a cova, de ponta a ponta,
Eu agradeço a quaisquer deuses que sejam,
Pela minha alma inconquistável.

Na cruel garra da situação,
Não estremeci, nem gritei em voz alta.
Sob a pancada do acaso,
Minha cabeça está ensanguentada, mas não curvada.

Além deste lugar de ira e lágrimas
Avulta-se apenas o Horror das sombras.
E apesar da ameaça dos anos,
Encontra-me, e me encontrará destemido.

Não importa quão estreito o portal,
Quão carregada de punições a lista,
Sou o mestre do meu destino:
Sou o capitão da minha alma.

quinta-feira, 15 de abril de 2010

As mãos do avô





















































































Uma vida tranquila


Quando a nossa consciência se liberta da necessidade de obter resultados imediatistas
e percebemos a importância de estar atentos ao processo
que cada situação percorre, podemos ficar tranquilos.
Uma vida tranquila emerge a partir do nosso ancoramento na sabedoria interior
que vem da Alma e nos concede dons maravilhosos:
um discurso consciente e sem palavras supérfluas,
a certeza de que até a mais turbulenta tempestade passa,
assim como se calam as dúvidas num coração tranquilo.
Para conseguir a tranquilidade desenvolva alguma atividade manual
ou algo que o leve a usar as mãos em silêncio.
Pratique a presença da sua Alma no centro do seu coração.
Sinta a calma que vem de um contato com o Ser mais profundo.
Reverencie os momentos de silêncio e solidão que a vida lhe oferece.
Procure escutar o silêncio na agitação do mundo que o cerca.
Desapegue-se conscientemente da compulsividade do "fazer".
Concentre-se mais no "ser" quando estiver realizando qualquer tarefa.
Seja Feliz.

Mensagem : Bambu








Depois de uma grande tempestade, um menino que estava passando férias na casa do seu avô, o chamou para a varanda e falou:

- Vovô!! Me explica como esta figueira, árvore frondosa e imensa, se quebrou, caiu com vento com a chuva, e este bambu tão fraco continua de pé?


- Filho, o bambu permanece em pé porque teve a humildade de se curvar na hora da tempestade. A figueira quis enfrentar o vento.

O bambu nos ensina várias coisas.

A primeira verdade – e a mais importante – é a humildade diante dos problemas, das dificuldades. Ele se curva, é flexível…

O bambu cria raízes profundas.
É muito difícil arrancar um bambu, pois o que ele tem para cima ele tem para baixo também.
Todos nós os precisamos aprofundar nossas raízes…

Outra lição:
Você já viu um pé de bambu sozinho?
Apenas quando é novo, mas antes de crescer ele permite que nasça outros a seu lado sabe que vai precisar deles.

O bambu nos ensina olhar para o alto e não criar galhos.
Nós perdemos muito tempo na vida tentando proteger nossos galhos, coisas insignificantes que damos um valor inestimável.
Para ganhar, é preciso perder tudo aquilo que nos impede de subir.

O bambu é oco, vazio…
Enquanto não nos esvaziarmos de tudo aquilo que nos preenche, que rouba nosso tempo, que tira nossa paz, não seremos felizes.

E assim, olhando a natureza, o avô deu uma lição simples ao netinho.
Que pode servir para todos nós…



http://anamariabraga.globo.com

www.razaoaurea.com.br

Nenhum pássaro no céu , Luíz Horácio

Pequeno texto do livro = Nenhum pássaro no céu. de Luíz Horácio.

Leia esta pequena parte do texto:

“Mal completara vinte e cinco anos, mas ainda não aprendera a disfarçar o ar de cansaço que o viver lhe causava. Desistira de quase tudo, menos do carinho ofertado ao pai do prazer de ler, difícil era encontrá-la sem um livro entre as mãos, e de perder o olhar apreciando a vastidão do pampa. A cada amanhecer sentia que lhe rondava um sentimento que não sabia explicar. Alguma coisa entre o sofrimento inevitável e a certeza de um dia ser surpreendida pela felicidade. A vontade de casar e ter filhos foi esquecida quando se deu a entender que para isso era necessário amor. Uma coisa que quem não viveu dias de pai e mãe não pode mesmo saber.

De uns tempos para cá uma doença esquisita parecia querer limitar ao pai os motivos de sua afeição. Aprendera a ler com cinco anos, ensinada por uma das tias de seu pai, a Vurica. Tomou gosto. E só agora a leitura lhe causava dor, soledad. A doença a impedia de ler, seus olhos apagavam certas letras e, curioso, mesmo assim não desfaziam o significado das palavras. Desde guriazinha, a impressão que se tinha ao ver Sofia acariciando o pampa com seu olhar é que a criança buscava um sonho.



– Carecemos de ir a Santa Maria ou à capital, minha filha, procurar médico que entenda do assunto. Já vi muita cegueira começar com uma comichãozinha.

– Não adianta, papá, usted sabe que se trata de coisa de família.



Camilo ainda é um homem forte, casou cedo com a bela Maria Eugênia e logo nasceu Sofia, a quem foi permitido amor materno apenas por quatro anos. Seu irmão Hidalgo não pôde experimentar o gosto de ter mãe: a mulher que também o pariu morrera no ato. Vivem ali naquela casa grande encimando a coxilha, perto, mas não tão perto, as casas dos peões em meio a permanente algazarra de pássaros e bichos pequenos que não sabem voar; preás, raposa, lebres, mulitas, tuco-tuco e, à noite, os sorros. Não fazem dali um lugar incomum, é só mais um canto de mato. Galinhas, porcos, gansos, patos, marrecos e o vento, vento quase sem parar. Sem esquecer a geada que nem mesmo ao verão é capaz de respeitar. Ela se engrandece, macula o pasto.”


Nenhum Pássaro no Céu, de Luíz Horácio



Na região da fronteira do Brasil com o Uruguai, o autor nos apresenta o patriarca Camilo Sosa, um fazendeiro mais preocupado em cultivar sonhos do que acumular riquezas materiais. Os diálogos francos, diretos, de Camilo e dos personagens que desfilam na obra são carregados de sonoridade e colorido especial na híbrida linguagem da fronteira, o portunhol.
Ao abordar frustrações, temores e sentimentos do homem da fronteira, o autor constrói um painel híbrido como o dialeto da região em que nasceu e se criou.
A composição dos personagens, a complexidade psicológica de cada um deles, a atenta observação social de seu tempo e, sobretudo, a narrativa fluente estabelecem o elo de identificação com o leitor e revelam um autor seguro de seu ofício. A cada página podemos ver os sonhos que não se concretizaram, a felicidade inverossímil, as expectativas referentes a atitudes e amores tão humanos quanto impossíveis que encontram na fantasia o recurso capaz de criar novos mundos.

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Um pouquinho de artesanato

Um pouquinho de artesanato=
























Máscara para as crianças=






















Sacolinhas para guloseimas=








Marcador de páginas=(Vc pode fazer o desenho em E.V.A e dar para a criançada colorir)

www.painelcriativo.com.br
artesanatoemcroche.blogspot.com

Feliz Páscoa



A Páscoa sempre representou a passagem de um tempo de trevas para outro de luzes, isto muito antes de ser considerada uma das principais festas da cristandade. A palavra "páscoa" - do hebreu "peschad", em grego "paskha" e latim "pache" - significa "passagem", uma transição anunciada pelo equinócio de primavera.

Para entender o significado da Páscoa cristã, é necessário voltar à Idade Média e lembrar que os antigos povos pagãos europeus, nesta época do ano, homenageavam Ostera, ou Easter, em inglês, derivada de Eostre, deusa anglo-saxã do amanhecer. Ostera (ou Ostara) é a Deusa da Primavera, que segura um ovo em sua mão e observa um coelho, símbolo da fertilidade, pulando alegremente em redor de seus pés nus. A deusa e o ovo que carrega são símbolos da chegada de uma nova vida. Ostara equivale, na mitologia grega, a Persephone. Na mitologia romana, é Ceres. Os antigos povos pagãos comemoravam a chegada da primavera decorando ovos. O próprio costume de decorá-los para dar de presente na Páscoa surgiu na Inglaterra, no século X, durante o reinado de Eduardo I (900-924), o qual tinha o hábito de banhar ovos em ouro e ofertá-los para os seus amigos e aliados.

Em hebraico, temos a "Pessach", a chamada "Páscoa Judaica", que se originou quando os hebreus, há cerca de 3 mil anos, celebraram o êxodo e libertação do seu povo, após 400 anos de cativeiro no Egito, pela mão de Moisés. Comemoravam assim a passagem da escravidão para a libertação: saíram do solo egípcio, ficaram 40 anos no deserto até chegar à região da Palestina, terra prometida, atualmente chamada de Israel.

A festa da Páscoa passou a ser uma festa cristã após a última ceia de Jesus com os apóstolos, na quinta-feira santa. Os fiéis cristãos celebram a ressurreição de Cristo e sua elevação ao céu. As imagens deste momento são a morte de Jesus na cruz e a sua aparição. A celebração sempre começa na quarta-feira de cinzas e termina no domingo de Páscoa: é a chamada semana santa. A data cristã foi fixada durante o Concílio de Nicea, em 325 d.C, como sendo "o primeiro domingo após a primeira Lua Cheia que ocorre após ou no equinócio da primavera boreal".